Porto Lisboa Aveiro Carvoeiro Braga

Estrada do Farol

Estrada do Farol

Farol de Alfanzina No ponto mais a sul do concelho de Lagoa, há uma luz que nunca se apaga. O farol de Alfanzina é um ponto de confiança para quem fica em terra e para quem se aventura rumo ao mar alto. Construído sobre um promontório rochoso segundo a tradição racional oitocentista, a sua composição clássica centrou a torre retangular entre dois edifícios perfilados em linha, paralelos à costa. Este farol tem um gémeo exatamente idêntico no Farol do Cabo Sardão, situado mais a norte, na costa vicentina. Marcando a ponta oeste do caminho dos Passadiços dos Sete Vales Suspensos, o Farol de Alfanzina marcou muitas das caminhadas de Tamara, interrompendo com a sua presença o amplo horizonte algarvio.

Rampa Sra. da Encarnação, 8400-513 Carvoeiro

Rampa Sra. da Encarnação, 8400-513 Carvoeiro

MIRADOURO DO CARVOEIRO Viver e crescer no Carvoeiro é ter constantemente os olhos no mar. Ver os barcos sair e esperar que a família que neles segue regresse com redes cheias de peixe e de histórias. É do oceano que se vê o sol a subir e mais tarde a pôr-se. É uma visão ampla como a deste Miradouro, que permite uma ligação à natureza como a que encontramos no trabalho de Tamara. Personalidades fortes e independentes, que sublimam a distância entre o humano e o animal, lembrando a força essencial da sobrevivência e da liberdade. Chamam-lhe Miradouro da Nossa Senhora da Encarnação, e foi aqui que Tamara viu ganhar corpo muito do seu imaginário.

R. do Barranco 31, 8400-508 Carvoeiro

Seat WallR. do Barranco 31, 8400-508 Carvoeiro

SOFIA A obra de Tamara tem evoluído em torno da sua busca por uma expressão maior do sentimento de libertação. Este sentimento ganha mais força e relevância no formato retrato. “Sofia” enquadra-se numa linha de peças de retratos de mulheres envoltas em vegetação, em ligação com a natureza e a sua própria essência feminina. Este mural é uma das instalações mais recentes onde Tamara procura descobrir um outro olhar à figura da Ofélia – a mulher romântica, vulnerável e refém de uma dimensão puramente emocional. “Sofia” é uma “anti-Ofélia”, aqui representada como uma mulher consciente do seu poder, celebrando a sua independência, em ligação com as suas origens e focada no seu potencial.

Estr. da Marinha, 8400-407 Lagoa

INTEREST POINTEstr. da Marinha, 8400-407 Lagoa

PERCURSO DOS SETE VALES SUSPENSOS Ligando o Vale de Centianes à Praia da Marinha, este percurso de quase 7 quilómetros de passadiços desenha uma linha sinuosa ao longo da costa. Passamos pelos algares e praias que nos conectam profundamente à natureza e que são uma inspiração para Tamara, encontrando-nos envolvidos pela fauna e flora do seu imaginário, fazendo despertar a sensação de liberdade patente nos seus murais. Preparem-se para esta caminhada com uma garrafa de água, sapatos confortáveis, fato de banho, material de desenho e, acima de tudo, tempo.

R. das Flores 18, 8400, 8400, Carvoeiro

INTEREST POINTR. das Flores 18, 8400, 8400, Carvoeiro

A BONECA Um algar é um fenómeno geológico onde os elementos “escavam” espaços orgânicos na rocha da costa, como cavernas, câmaras e caminhos, habitats perfeitos para a imaginação e uma fuga ao real. O Algar da Boneca é um dos primeiros lugares para onde Tamara “fugia” para ir aprender com a natureza e construir as suas primeiras memórias de independência. A sua estética naturista é altamente influenciada pelas cores, texturas e irregularidades de espaços como este.

Estrada do Paraíso 19, Lagoa

INTEREST POINTEstrada do Paraíso 19, Lagoa

PRAIA DO PARAÍSO A Praia do Paraíso é o sítio onde Tamara viu os barcos dos familiares e amigos sair e voltar – é o covil dos seus Lobos do Mar — sendo que os lobos são figuras invariavelmente presentes na sua obra, metaforizando um legado e memória familiar que aqui têm porto seguro. Foi a partir desta praia que a Vila do Carvoeiro, tal como Tamara, evoluiu para ser o que é hoje.

Praia de Benagil

INTEREST POINTPraia de Benagil

ALGAR DE BENAGIL Um dos mais impressionantes algares, uma catedral aberta pelo mar, nele erguida. Histórias de noites aqui passadas e desafios de lá chegar a nado, são marcas de crescimento de várias gerações de naturais do Carvoeiro. Depois de uma visita a este algar é absolutamente compreensível a ligação quase espiritual dos locais a espaços como este.

Urbanização Alto Pacheco LA, 8500-510 Portimão

GRAFITTI POINTUrbanização Alto Pacheco LA, 8500-510 Portimão

SKATEPARK PORTIMÃO Este é o epicentro do graffiti do Algarve. Um espaço livre e seguro para a expressão da identidade e criatividade de várias gerações de street artists no sul de Portugal. Tamara aprendeu muito sobre os estilos e os códigos do graffiti ao visitar estas paredes. Foi aqui que se começou a questionar sobre a legitimidade desta expressão – porque é que estas imagens eram consideradas menores ou menos dignas? Se uma ideia era potenciada pela técnica para criar algo belo, algo que gerasse identificação no espetador, porque é que não podia ser considerada arte? A estas perguntas viria a dedicar uma tese e sobre elas continua uma reflexão ativa, corroborada no seu próprio processo e trabalho.

Estrada do Paraíso 19, Lagoa

ARTIST WALLSEstrada do Paraíso 19, Lagoa

DREAM EATERS “Dream Eaters” é uma peça que projeta para o mundo real todo o potencial onírico da experiência de Tamara, ao crescer em comunhão com a natureza em muitos momentos de contemplação ali mesmo na Praia do Paraíso. Transversal a toda a obra de Tamara, há um elogio à liberdade que também passa por um sentimento de fuga à realidade. Este mural é o primeiro momento onde a artista local tem oportunidade de se reconectar com o sítio que a viu crescer.

Largo da Praia, 8400-517 Carvoeiro

ARTIST WALLSLargo da Praia, 8400-517 Carvoeiro

LOBOS DO MAR Tamara Alves é neta de pescadores. A sua história é feita de lendas de mar e da faina, cheia de personagens de olhares que sabiam ler as ondas, de mãos endurecidas e peles lavradas pelo sal e o sol. Lobos do mar, pessoas que lançavam a rede para sustentar a família e alimentar a sua comunidade. Esta peça é uma homenagem direta a este legado, simbolizado na figura, metáfora e paradoxo do próprio lobo – uma criatura solitária que não sobrevive sem a sua matilha.

Escadinhas de Povo do Burro, Carvoeiro

ARTIST WALLSEscadinhas de Povo do Burro, Carvoeiro

ZORRA “Zorra” é uma expressão local para raposa. “Zorra” é matreira, esguia e indomável. Mais uma figura para o “bestiário” de Tamara, uma coleção de inspirações naturais que transmitem a essência de liberdade que preocupa a artista e ocupa tanto do seu trabalho. Esta “Zorra” foi pintada à porta da galeria de arte dos pais de Tamara, como um totem — uma entidade que protege aqueles que ama.

Edifício Aurora Sol, R. do Barranco, Carvoeiro

ARTIST WALLSEdifício Aurora Sol, R. do Barranco, Carvoeiro

SOFIA Ao virar da esquina, Tamara encontra a oportunidade de relembrar o Carvoeiro da importância de olhar nos olhos a energia feminina do seu trabalho. Uma outra “Sofia” fita-nos e deixa ver na sua cara o espírito indomável destas “anti-ofélias”. Tatuado na fronte desta “Sofia” lemos “WOLF”, numa outra forma de invocar o “spirit animal” da liberdade e da ligação à natureza. A proximidade desta peça cria uma outra forma de relação, mais próxima, envolvente e mais envolvida nos ritmos das pessoas que por ela passam.

R. do Barranco 61, 8400-508 Carvoeiro

ARTIST WALLSR. do Barranco 61, 8400-508 Carvoeiro

LOBO Individualidade, Independência e Instinto. Mais uma vez a figura do lobo, um dos símbolos maiores do imaginário de Tamara Alves, ganha forma e cor para fazer virar cabeças e perspetivas num exercício de contraste entre as linhas retas da arquitetura do Carvoeiro e as linhas naturais e sinuosas da costa algarvia. Não é suposto encontrarmos um lobo neste ambiente balnear, mas é um símbolo do instinto indomável que encontramos numa parede da vila que formou e viu crescer Tamara Alves.

Largo dos Quarteis, 8600-315 Lagos

SELECTED WALLSLargo dos Quarteis, 8600-315 Lagos

WHAT GOES AROUND COMES AROUND BY SEPE Uma criação integrada na iniciativa ARTURb, este é um dos murais favoritos de Tamara. Pode ser encontrado no centro histórico de Lagos. É um exemplo notável da capacidade da street art de envolver e contar uma história. Evoluindo do património técnico do graffiti para uma abordagem site-specific, aqui a irregularidade da superfície e o ritmo imposto por portas e janelas são a base de um retrato emotivo dos “altos e baixos” da vida, onde a cor transmite o passar dos anos por um homem — que em jovem se apoiava no conflito e ao longo do tempo transforma essa sua arma em bengala.

R. Infante de Sagres, 8600-315 Lagos

SELECTED WALLSR. Infante de Sagres, 8600-315 Lagos

BORONDO Mais um exemplo do sentido de oportunidade e da capacidade de integrar o espaço urbano e a sua decomposição na criação de arte. Uma parede devoluta, quebrada pelas raízes de uma árvore, foi a tela escolhida por Gonzalo Borondo para criar um retrato que deixa a terra e as raízes em constante mutação, a “desenhar” a expressão do sujeito. A ligação à natureza e os traços emocionais e expressionistas traçam pontes entre o graffiti e a ilustração, muito como o registo e trabalho de Tamara Alves.

R. Lançarote de Freitas, 8600-632 Lagos

SELECTED WALLSR. Lançarote de Freitas, 8600-632 Lagos

KISSING SNAILS BY ROA Tal como as outras duas paredes selecionadas, este mural de ROA integrado no festival ARTURb é uma peça que reflete sobre a passagem do tempo, a mutabilidade da natureza e como as cidades reagem a estas forças. Dois caracóis em cópula, tomando todo o tempo e espaço necessário para garantir que a vida continue, criam uma imagem simples e impactante onde a metáfora da vida animal faz humanos refletir sobre a sua própria vida. Mais uma vez uma abordagem que se relaciona em muito com o trabalho de Tamara.

Largo do Convento de Nossa Sra. da Glória 25, 8600-315 Lagos

ART POINTLargo do Convento de Nossa Sra. da Glória 25, 8600-315 Lagos

LAC - LABORATÓRIO DE ACTIVIDADES CRIATIVAS Instalado na antiga cadeia de Lagos, o LAC é um espaço de libertação criativa onde as antigas celas foram transformados em espaços de trabalho. Acolhe exposições, concertos, espetáculos, workshops e residências artísticas, renovando a história do espaço da cidade e da cena artística algarvia. No cadastro desta associação sem fins lucrativos está uma vontade de democratizar a arte num sentido verdadeiramente representativo e inclusivo da diversidade da região. Tem sido aqui que desde 2011, a street art foi conquistando dignidade com espaço para exposições como as de Add Fuel, AkaCorleone, Kruella D`Enfer, +MaisMenos-, Mário Belém, entre muitos outros.

Escadinhas de Povo do Burro, Carvoeiro

ART POINTEscadinhas de Povo do Burro, Carvoeiro

ATELIER D'ARTE Tamara Alves é filha de empreendedores e artistas. Os seus pais, para além de terem apoiado o seu percurso artístico, são também duas figuras-chave na pequena cena artística da vila do Carvoeiro, tendo aberto as portas do Atelier d’Arte: uma galeria empenhada em garantir a presença da Arte numa localidade que, por natureza, muda a cada estação. Por ligações óbvias, podemos encontrar aqui algumas obras de Tamara, tanto na fachada como nas suas paredes.

Rua 24 de Julho

Seat WallRua 24 de Junho

Homenagem a Braga Criada e produzida para o projeto SEAT ART CITIES, esta parede é uma homenagem de B.E.K à sua cidade. Quatro figuras guerreiras levantam-se na parede da rotunda da Rua 24 de Junho, para garantir proteção a quem passa. Situada entre o polo da Universidade do Minho e Hospital, esta parede transmite uma ligação da história ao futuro, numa cidade onde o orgulho do seu passado marca o crescer de novas expressões e ideias.

Avenida Central 33 – Bragashopping

Artist WallsAvenida Central 33 – Bragashopping

TOCA (Bragashopping) A Toca é um antigo cinema convertido em hub criativo que concentra vários espaços de trabalho para criadores em Braga. É também o sítio onde podemos encontrar a primeira parede de B.E.K., um mural que protege a entrada para um mundo de liberdade criativa e de partilha.

Avenida Doutor Francisco Pires Gonçalves

Artist WallsAvenida Doutor Francisco Pires Gonçalves

B.E.K no Parque da Ponte Mal soube que iria acontecer o primeiro festival de arte urbana na cidade, o BRAGART em 2016, B.E.K. enviou uma proposta para tentar garantir o seu lugar no mural que iria ser feito no Parque. Deparou-se apenas com um problema: a participação no festival implicava uma candidatura – ou seja, a parede era apenas para convidados/selecionados. Mas a sorte protege os audazes e junto a nomes como Gonçalo MAR ou SMILE, está, até hoje, a primeira peça pública do nosso artista.

Rua Irmãs Missionárias do Espírito Santo nº39 Fraião, Braga

Artist WallsRua Irmãs Missionárias do Espírito Santo nº39 Fraião, Braga

Cafetaria Fonte Seca A relação de B.E.K. com Braga não se prende só com a arquitetura, a simbologia ou o misticismo que a preenchem. É também para ele um desafio refletir sobre as pessoas e sobre a sua relação com a cidade e espaços que pautam o seu quotidiano. Na Cafetaria Fonte Seca, um lugar de começo dos dias para muitos bracarenses, B.E.K. ilustrou, num pequeno mural intimista, a importância de todos termos um lugar seguro.

Praça de Conde de Agrolongo junto ao nº 127

Selected WallsPraça de Conde de Agrolongo junto ao nº 127

Túnel do Campo da Vinha Em 2016, inserido na Capital Ibero-Americana da Juventude, um encontro de artistas portugueses, brasileiros e argentinos transformou as paredes de entrada para o Túnel do Campo da Vinha, até então invisíveis, num mural que é hoje um excelente exemplo do património de street art de Braga.

Este mural representa uma mudança de atitude por parte da cidade, abraçando novas expressões e visões para identidade de uma cidade em mudança. Também aqui, B.E.K. enquadra-se numa nova geração de artistas bracarenses que tem vindo a ganhar espaço e a trazer à luz do dia o potencial artístico do espaço público.

Avenida Doutor Francisco Pires Gonçalves

Selected WallsAvenida Doutor Francisco Pires Gonçalves

Parque da ponte / Ponte da Cidade No coração verde de Braga decorreu um importante festival de arte urbana – o BRAGART. Este foi um verdadeiro momento de viragem que, para além de ter dado a oportunidade a B.E.K. de pintar a sua primeira parede no exterior, permitiu apresentar à cidade uma nova e vibrante forma de ocupar o espaço público, deixando que o património centenário conviva – até hoje – lado a lado com uma estética contemporânea.

Parque Radical - R. Dr. Rocha Peixoto 12, 4700-028 Braga

Grafitti Point Parque Radical - R. Dr. Rocha Peixoto 12, 4700-028 Braga

Parque Radical Esta é “A” parede. Nasce de um contexto partilhado, pois é apenas natural que os desportos de expressão individual que habitam os skateparks partilhem não só do mesmo espaço como da mesma atitude – e, aqui, grafitti e street art são o exemplo de quase simbiose e comunhão do mesmo sentido de individualidade, superação e risco.

O Parque Radical é um espaço de liberdade, onde as obras se renovam num ciclo contínuo de inspiração, onde artistas locais e visitantes se vão expressando. O Parque Radical foi o primeiro sítio em Braga onde B.E.K. viu o que era possível fazer em termos de arte pública, onde percebeu pela primeira vez que uma parede era uma tela em branco.

Gandias - Av. Central Nº116 R/C, 4710-229 Braga

Art PointAv. Central Nº116 R/C, 4710-229 Braga

Gandias As cidades e as vidas que têm dentro são feitas de rotinas, de hábitos e das histórias que começam a partir desses rituais. Um ritual comum para B.E.K. é listar o material de que irá precisar para a sua próxima obra: polos urbanos maiores terão lojas especializadas em grafitti, mas Braga e B.E.K. têm como referência a pequena Gandias. Uma papelaria local sem ligação à street art, mas que alimenta as mentes criativas da cidade.

Praça Conde de Agrolongo 123, 4700-312 Braga

Art PointPraça Conde de Agrolongo 123, 4700-312 Braga

gnration Um antigo quartel da GNR convertido em centro para as artes, é um espaço público maioritariamente focado em novas expressões e nas artes performativas. Resultante da Braga 2012 – Capital Europeia da Juventude –, o gnration é um espaço de criação, performance e exposição com especial foco no cruzar da arte e com a tecnologia, oferecendo à cidade experiências de aprendizagem e contacto com práticas artísticas relevantes sob uma perspetiva contemporânea e cosmopolita.

Rua do Raio 175, 4710-923 Braga, Portugal

Art PointRua do Raio 175, 4710-923 Braga, Portugal

Zet Gallery Zet Gallery é mais do que uma galeria de arte. No centro da cidade é um espaço de arte contemporânea e um lugar de discussão e partilha que vai aproximando a cultura erudita daquilo que se cria nas ruas. À comunidade oferece dois grandes espaços expositivos e um pequeno auditório com uma programação dedicada a performances, debates e conferências onde a comunidade artística bracarense se encontra.

Av. Nossa Sra. do Sameiro 44, 4715-616 Braga

Interest PointAv. Nossa Sra. do Sameiro 44, 4715-616 Braga

Santuário do Sameiro No topo do monte do Sameiro, encontramos um dos principais templos portugueses dedicados ao culto da Virgem Maria. Desde 1856 que peregrinos se deslocam aqui para honrar e pedir proteção à Virgem. O templo está repleto de imagens e estátuas de presença imponente, entidades protetoras, símbolos de ligação a uma consciência espiritual. Com uma vista privilegiada sobre o “caldeirão” onde se deposita a cidade, para além de ser um ex-libris é um sítio que ajuda a perceber como Braga inspirou toda a estética de B.E.K.

Monte do Picoto, 4715-213 Braga

Interest PointMonte do Picoto, 4715-213 Braga

Miradouro do Picoto Este miradouro é um dos mais recentes da cidade de Braga. Envolvido pela mata do Picoto, é um espaço que se situa a Sul e que evoluiu para oferecer experiências de proximidade à Natureza. Braga é uma cidade em mudança e daqui vê-se tudo.

R. do Castelo 19, 4700-328 Braga

R. do Castelo 19, 4700-328 Braga

Torre de Menagem Esta é a única estrutura sobrevivente do castelo medieval construído a mando de D. Diniz para proteger Bracara Augusta, em meados do século XIII. A Torre de Menagem tinha uma função de armeiro e de ponto estratégico de vigia. Hoje é um monumento fundamental para a silhueta da cidade, com um lugar de destaque no seu património arquitetónico. A sua história e a sua sombra garantem-lhe uma presença no imaginário de B.E.K. e na forma como no seu trabalho parece surgir um folclore próprio de figuras, símbolos e elementos que ligam o mundo espiritual ao terreno, numa relação de proteção e respeito.

R. Dom Diogo de Sousa 127, 4700-424 Braga

R. Dom Diogo de Sousa 127, 4700-424 Braga

Arco da Porta Nova Construída em 1512, foi uma das portas que interromperam a muralha medieval, abrindo a cidade aos visitantes. A história conta que a Porta Nova de facto nunca teve porta, como símbolo do espírito hospitaleiro e cosmopolita da cidade. Diz-se que é deste facto também que pode ter nascido a expressão “és de Braga?”, aplicada a quem não fecha portas atrás de si.

O arco como símbolo de passagem é um ícone que surge com alguma frequência no trabalho de B.E.K., ligando o mundo espiritual ao terreno, e a cidade de Braga ao seu imaginário.

R. Dom Paio Mendes, 4700-424 Braga

R. Dom Paio Mendes, 4700-424 Braga

Sé de Braga A Sé de Braga é um exemplo de como a história se transforma e se constrói sobre os capítulos anteriores. Levantada sobre um templo romano dedicado a Ísis, mãe divina dos faraós, uma entidade egípcia abraçada por gregos e romanos no culto do pós-vida, pois tinha ressuscitado seu marido Osíris. Na base desta catedral gótica encontramos ainda uma pedra com o símbolo de Ísis, a deusa Mãe – um culto que poderá ter influenciado a veneração de Maria.

Este encontro de culturas e de iconografias conduziu em muito a linguagem e referências visuais com que B.E.K. construiu a sua estética, sendo mais um exemplo de como a história da cidade de Braga parece ter inspirado uma expressão tão contemporânea como é a do seu embaixador SEAT ART CITIES.

Estrada do Bom Jesus, 4715-056 Tenões

Estrada do Bom Jesus, 4715-056 Tenões

Bom Jesus Num só mesmo lugar, quem visita o Bom Jesus de Braga pode encontrar o mais antigo funicular do mundo em funcionamento, uma das maiores e mais antigas concentrações de estatuária e iconografia cristãs em Portugal, uma escadaria imponente e um fenómeno de gravidade que põe carros a subir sozinhos uma estrada que, relato a relato, se transformou num verdadeiro folclore da cidade. Um dos mais visitados pontos turísticos da cidade, é um lugar mágico, que como o trabalho de B.E.K., junta o imaginário popular ao religioso para contar histórias que aproximam pessoas.

R. do Anjo 49, 4700-305 Braga

Artist WallsR. do Anjo 49, 4700-305 Braga

B.E.K no JUNO JUNO é um bar da cidade que recebeu o nome da deusa dos deuses, mulher de Júpiter. A mitologia volta a envolver-se com a cidade, onde a ligação ao espiritual revela um traço de identidade. Figuras clássicas, cristãs e pagãs parecem conviver e construir uma linguagem própria – e foi este ambiente que B.E.K construiu a seu cunho artístico também: na esplanada, encontramos mais um mural de B.E.K., onde uma deusa e o seu animal descontraem em segurança.

Estr. da Bela Vista, Lisboa

Estr. da Bela Vista, Lisboa

Panorâmico de Monsanto Esquecido durante anos, o Panorâmico de Monsanto sonhou ser muitas coisas, mas nunca aquilo em que se transformou. Projetado e construído em 1968 para ser um símbolo do privilégio boémio, nunca conseguiu ser o ícone de exclusividade para que foi pensado. Situado num ponto privilegiado, dali conseguimos ver toda a Lisboa, o Tejo e Almada. Do projeto original sobreviveu a estrutura 360 e os paneis cerâmicos de Manuela Madureira. As duas coisas que se mantiveram constantes na natureza deste projeto foram as mesmas que devolveram este espaço às pessoas de Lisboa – a arte e a melhor vista da capital. 50 anos depois da sua construção, o Panorâmico de Lisboa é hoje uma plataforma de vislumbre do futuro da criatividade, recebendo nas suas paredes o melhor da street art, tendo-se transformado na “casa” do Festival Eminente, a principal celebração da arte urbana em Portugal.

Campo de Santa Clara, 1100-471 Lisboa

Campo de Santa Clara, 1100-471 Lisboa

Panteão No Campo de Santa Clara todas as terças e sábados acontece a Feira da Ladra, um ponto de convergência da diversidade lisboeta. Neste mercado de segunda mão conseguimos encontrar quase tudo. AkaCorleone escolheu este local como um dos seus favoritos na sua cidade, exatamente por isso – por ser um sítio onde o estímulo visual consegue abrir horizontes, da linha reta do Tejo, passando pela abóbada perfeita do Panteão, às cores e formas do “puzzle” sem espaços vazios de todos os itens no chão da feira. Aqui tudo se transforma, o velho vira novo, e o antigo ensina sempre qualquer coisa a quem acabou de chegar.

Praça do Comércio, Lisboa

Praça do Comércio, Lisboa

Cais das Colunas Diversa e cosmopolita, Lisboa é uma cidade aberta ao mundo. Ao centro do Terreiro do Paço, enquadrando quem chega e quem parte, o Cais das Colunas é um ícone simples da ligação de Lisboa ao mundo. Incólume e paciente, assistiu a muitas chegadas e partidas, tal como assistiu ao renovar da zona ribeirinha, onde espaços e caminhos abandonados recebem agora nova vida, cheia de criatividade. Do Cais das Colunas podemos entrar na baixa pombalina, seguir à descoberta da tradições da Mouraria, subir ao Castelo ou ir respirar a boémia e criatividade do Cais do Sodré. AkaCorleone recomenda começar por aqui a descoberta da sua Lisboa.

Av. Alm. Reis 173

Seat WallAv. Alm. Reis 173

Look Up Numa das principais artérias de Lisboa, onde a mistura cultural e a criatividade de Arroios se aproxima do business center da Avenida da República, AkaCorleone levantou um espelho. Nesta empena, vemos o retrato de uma Lisboa ocupada, sempre ligada, que elogia o stress e o calendário cheio. É a ligação à cidade mas mediada pelo smartphone e a cultura do “sempre ocupado”. A imagem, a escala inegável da peça, as cores e as formas vão fazer-nos olhar para cima, desafiar-nos a descobrir este nosso retrato e a sorrir ao descobrirmos o nosso reflexo nela. Os 10 minutos que levamos a levantar os olhos do telemóvel para ver esta parede, esse momento será nosso, presencial e para sempre. É para isto que a street art serve.

Av. Fontes Pereira de Melo 26, 1050-010 Lisboa

INTEREST POINTAv. Fontes Pereira de Melo 26, 1050-010 Lisboa

CRONOS Em 2010, o festival Crono recebeu em Lisboa alguns dos melhores street artists do mundo. Um projeto conjunto do curador italiano Angelo Milano, do designer urbano Pedro Soares Neves e do artista Alexandro Farto (VHILS) em colaboração com a Câmara Municipal de Lisboa, tornou visível a cidade num contexto global da arte urbana e, no processo, estimulou toda uma nova geração de artistas ao ampliar a escala e o imaginário do que era possível fazer numa parede. Uma das mais icónicas intervenções e património deixado pelo festival Crono, é um conjunto de fachadas da Avenida Fontes Pereira de Melo, lembrança do momento quando Lisboa conheceu OsGemeos do Brasil, Blu e Ericailcane de Itália e Sam3 de Espanha. Este foi o momento de viragem para a street art portuguesa, um momento que AkaCorleone lembra como determinante e um local de imperativa visita.

1150-019 Lisbon

INTEREST POINT1150-019 Lisbon

Intendente (onde o AKA tem o seu estúdio) Lisboa é uma cidade única feita de diferença. Um dos sítios da cidade onde esta diversidade é mais visível é no Intendente. Mercados asiáticos e africanos, gastronomia de todo o mundo, os cheiros misturam-se, as cores, as línguas, as palavras trazem para a rua uma Lisboa eclética, curiosa, empática e aberta ao mundo e ao outro. Várias gerações, várias culturas encontram-se e influenciam-se criando uma identidade misturada que só podia ser daqui, uma identidade visível e inegável. É no Intendente que AkaCorleone tem o seu estúdio, é no meio desta mistura que a sua “mistura” evolui.

R. Rodrigues de Faria 103, 1300-501 Lisboa

INTEREST POINTR. Rodrigues de Faria 103, 1300-501 Lisboa

LX FACTORY Junto ao rio, mesmo debaixo da ponte 25 de Abril, escondem-se em plena vista mais dois inspiradores exemplos da capacidade de reinvenção desta cidade. Lx Factory e Village Underground são dois projetos únicos e icónicos de reaproveitamento urbanístico, resgatando dois espaços do esquecimento e abandono na zona de Alcântara. Ambos criaram um sentimento de comunidade abrindo as portas à criatividade. Os dois projetos concentram novas expressões de restauração, hotelaria, comércio, empresas criativas e espaços de co-work onde o graffiti e a street art afirmam da forma mais vibrante o carácter único destes espaços e da cidade de Lisboa. Só pelas paredes vale a pena visitá-los.

Av. Conselheiro Fernando de Sousa 1C, 1070-072 Lisboa

GRAFITTI POINTAv. Conselheiro Fernando de Sousa 1C, 1070-072 Lisboa

Amoreiras, Wall of Fame Uma das primeiras paredes legais de Lisboa mantém até aos dias de hoje o carácter icónico. Como qualquer Wall of Fame em qualquer outra cidade, esta é parede da consagração dos writers lisboetas – é aqui que chegam as peças dos que já deram provas na cena urbana, esta é a montra da excelência do graffiti da capital.

Beco do Casal 5, 1250-273 Lisboa

GRAFITTI POINTBeco do Casal 5, 1250-273 Lisboa

Antigo Muro da Abraço O Grafitti e Lisboa têm uma ligação antiga. Uma dessas histórias é a chamada Parede da Abraço. No início da década 90, o grafitti estava a mudar e a forma de comunicar causas também. A Associação Abraço juntou-se a Mr. André — um inovador do grafitti a nível mundial e de origem portuguesa — para pintar um mural de consciencialização sobre o vírus do HIV e as necessidades das suas vítimas. A cidade e o país pararam para ver os quase cem metros de um irreverente novo estilo de arte, demasiado rebelde para as galerias e demasiado pop para os puristas do grafitti. Esse momento inspirou várias gerações de artistas do aerossol. Essa parede ainda hoje é reservada aos criadores com “lata” suficiente, fazendo parte de uma rede de paredes legais que recebe, ao ritmo da criatividade lisboeta, novas peças.

Av. da Índia 52, 1300-299 Lisboa

ARTIST WALLAv. da Índia 52, 1300-299 Lisboa

FIND YOURSELF IN CHAOS Village Underground é um working space hub, construído a partir da sobreposição de vários contentontores de carga. Uma solução que reflete um novo olhar sobre a partilha, o trabalho e a criatividade. Para ilustrar e dar cor a esta ideia de espaço partilhado e misturado, AkaCorleone aumentou a escala e trouxe para a rua o conceito da sua exposição “Find myself in chaos”, utilizando a superfície irregular do Village Underground para um grande mural anamórfico – onde é preciso alinharmo-nos com a peça para a verdadeiramente compreendermos. Desde então, o espaço já recebeu outras intervenções, mas ainda resta algum do “caos” de AkaCorleone.

Campo Mártires da Pátria 60006, 1150-228 Lisboa

ARTIST WALLCampo Mártires da Pátria 60006, 1150-228 Lisboa

BALANCE Uma das mais recentes intervenções do Lisboeta, desta vez na horizontal. O basquete e os seus playgrounds fazem parte do universo da cultura do hip hop e, consequentemente, do graffiti. São espaços comunitários onde se equilibram expressões individuais e identidades coletivas, onde se defrontam equipas, ideias, estilos, movimentos. Daí, “Balance”: a peça de AkaCorleone que aborda esta ideia de encontros face-a-face que acontecem tantas vezes nestes campos, trazendo alguma inspiração da solução gráfica das cartas de jogar, mas desta vez para falar da sinergia da diferença, onde opostos trabalham em conjunto para criar um equilíbrio, deixando claro que talvez não sejam assim tão opostos. Uma das peças mais impactantes e envolventes de AkaCorleone.

R. Prof. Sedas Nunes, Lisboa

ARTIST WALLR. Prof. Sedas Nunes, Lisboa

SUDDENLY...THE END Integrada no festival MURO, o festival de street art de Lisboa,“Suddenly” é uma de muitas empenas a dar cor ao Bairro Padre Cruz, uma peça sobre o carácter imprevisível da mudança. Peças como esta numa comunidade do lado de fora do privilégio podem mudar muita coisa. O Bairro Padre Cruz é uma comunidade de habitação social onde até há pouco tempo ninguém vinha visitar, a não ser que ali tivesse familiares ou amigos. De repente, chegam os artistas, de realidades diferentes, ideias diferentes, para as pintar nas paredes das suas casas. A primeira reação é de estranheza, depois fazem-se perguntas, partilham-se experiências, e de repente as empenas e murais não são de autor, são de todos. Esta coleção de empenas da qual “Suddenly” faz parte, mudou a cara e a vida do Bairro Padre Cruz, assim, de repente.

R. Damasceno Monteiro 21A

ARTIST WALLR. Damasceno Monteiro 21A

DESSASOSSEGO Aqui é AkaCorleone a pintar no seu bairro para o seu bairro. Esta empena era uma daquelas paredes que o artista via e “cobiçava” com frequência. Até que os proprietários, numa tentativa de proteger a fachada recentemente intervencionada do avanço dos tags aleatórios, contactaram o artista para criar uma peça. Um momento surreal, quase saído de um sonho. E por isso a escolha de uma das personagens mais icónicas de Lisboa para representar o lado psicadélico deste momento e da sua cidade pareceu tão ajustado como inspirador. Fernando sobe assim à empena num sonho de absinto e desassossego.

Rua Norton de Matos 2, 2780-155 Oeiras

ARTIST WALLRua Norton de Matos 2, 2780-155 Oeiras

LEGACY AkaCorleone é um artista apaixonado pela sua cidade. Percebe que a essência de Lisboa é o resultado do encontro entre a sua história e a forma como ela se reinventa, como o seu passado se transforma em futuro. O que também explica o seu fascínio com os azulejos, um meio tradicional tão recetivo a novas expressões. Em Oeiras foi à procura da história e património locais para criar uma homenagem à essência do lugar. Combinou passado, presente e futuro, numa experiência de criação em azulejo. Vale a pena ir até Oeiras para descobrir o seu legado imortalizado em painel de azulejos.

Largo Dr. Bernardino António Gomes (Pai), Lisboa

SELECTED WALLLargo Dr. Bernardino António Gomes (Pai), Lisboa

“Dreamland” by Mr. André O writer que deixou de fazer tags no início dos 90’s para fazer um dos primeiros murais icónicos com uma abordagem e estética que viria a anunciar a street art, regressou a Lisboa, 20 anos depois, para levantar outro ícone. Numa colaboração com o MUDE, Mr. André criou um mural de azulejos, no espírito da Feira da Ladra, juntando o velho ao novo, para homenagear Lisboa e todas as cidades em que se apaixonou e o influenciaram durante a sua vida. O resultado é uma parede imperdível, uma das favoritas de AkaCorleone.

Estrada do Paço do Lumiar, Campus do Lumiar, Edifício K3, 1649-038 Lisboa

SELECTED WALLEstrada do Paço do Lumiar, Campus do Lumiar, Edifício K3, 1649-038 Lisboa

Centro de Inovação e Competitividade da GS1®Portugal - Fachada by Vhils É complicado traçar uma história ou um percurso da street art em Lisboa e evitar o nome ou a obra de VHILS. É certo que Lisboa ofereceu já muitos outros nomes ao mundo da arte de rua, mas o traço único, as técnicas, a abordagem aos materiais, a simples humanidade dos temas tornam Alexandre Farto um artista inegável. Das várias peças que se podem encontrar de VHILS em Lisboa, AkaCorleone escolheu a fachada da sede da GS1, um trabalho de escala e perspetiva em colaboração com o atelier de arquitetura PROMONTÓRIO, sobre a capacidade humana de criar e decifrar códigos, ocultando ou tornando visível o valor da informação. É visitar para ver e ver para crer.

Calçada de Santa Apolónia 36, 1100-093 Lisboa

SELECTED WALLCalçada de Santa Apolónia 36, 1100-093 Lisboa

“Viva a Vida” by Mário Belém Comissionada pela Galeria de Arte Urbana de Lisboa, esta peça de Mário Belém é um exemplo do nível técnico de excelência que se pode encontrar nas paredes desta cidade. Um mural organizado em tríptico, evoca a cena típica alfacinha da vida feita à janela, e utiliza esse momento para demonstrar o lado efémero da vida. A obra de 2018 foi criada no contexto da atribuição da Marca do Património Europeu à Carta de Lei da Abolição da Pena de Morte e para assinalar as Comemorações dos 150 anos da Abolição da Pena de Morte em Portugal (1867-2017). A escolha de AkaCorleone desta peça de Mário Belém foca-se na capacidade do artista e ilustrador de criar detalhe, textura, narrativa e o uso elegantemente criativo de espaço. A vida são dois dias, uma visita este mural não deve levar mais que uma hora.

Av. Infante Santo 70, 1350-180 Lisboa

SELECTED WALLAv. Infante Santo 70, 1350-180 Lisboa

“Louvor da Vivacidade” by Add Fuel Novamente os azulejos. A atração da street art por meios tradicionais levam AkaCorleone a escolher o mural de Add Fuel, uma peça que encerra a rota dos azulejos num grupo de murais de nomes como Júlio Pomar, Maria Keil ou Eduardo Nery. O interessante e inspirador neste mural é que para além do meio, Add Fuel recuperou ornamentos típicos do azulejo doméstico para criar uma vibração nova, onde são utilizados como elementos repetidos fora da sua esquadria e ritmos originais. O resultado é ao mesmo tempo familiar e estranho, uma afirmação envolvente da capacidade humana de evoluir.

R. Fernando Palha 56, 1950-132 Lisboa

SELECTED WALLR. Fernando Palha 56, 1950-132 Lisboa

“Poseidon facing the Tagus river” by PichiAvo PichiAvo têm um estilo inconfundível, feito de contrastes. Clássico e moderno, escultura e tagging, passado e presente juntos para criar futuro. É provocadora a justaposição de registos das suas peças, quase insultuosa, não fosse tão impactante a forma como as duas estéticas se complementam para criar uma outra ideia de beleza. O mural na Rua de Santa Apolónia é o primeiro da dupla em Lisboa, e ao primeiro tiro, sintetizaram a ligação da cidade com o rio e o mar. Entre o Panteão e a estação de comboios de Santa Apolónia, entre o citadino e o suburbano, entre o velho e o novo, e a missão da street art de nos fazer olhar para cima, empatizar na diferença e aproximarmo-nos uns dos outros.

R. Fernando Palha 56, 1950-132 Lisboa

ART POINTR. Fernando Palha 56, 1950-132 Lisboa

Underdogs Gallery A primeira galeria de arte lisboeta a concentrar-se exclusivamente na produção e promoção de street art. Promove intervenções na rua, exposições no seu espaço, edições e produtos de artista e organiza vária visitas ao património lisboeta de arte de rua e grafitti. Representa vários artistas, inclusive o próprio AkaCorleone. Vale sempre a pena visitar o espaço porque há sempre qualquer coisa para ver.

Rua da Cintura do Porto de Lisboa, Armazém A Porta 20, Cais do Sodré, 1200-450 Lisboa

ART POINTRua da Cintura do Porto de Lisboa, Armazém A Porta 20, Cais do Sodré, 1200-450 Lisboa

Crack Kids Latas, arte, apparel e tacos tudo no mesmo sítio. É um ponto de encontro da cultura de arte de rua. Aqui é comum encontrares exposições e edições limitadas de artistas convidados ou até mesmo workshops e cursos de iniciação ao graffiti. De uma forma ou de outra, saímos daqui de alma e/ou barriga cheia e com nódoas de tinta ou frijoles.

Rua da Boa Nova 4450-705 Matosinhos

LANDMARKSRua da Boa Nova 4450-705 Matosinhos

Casa de Chá da Boa Nova A ligação entre mar e cidade, a forma como comunicam e se influenciam é uma das principais características da identidade de Matosinhos. Uma relação que define todo um concelho e que caracteriza o espírito dos seus habitantes. Um perfeito exemplo deste diálogo é um dos primeiros projetos construídos de Siza Vieira, a Casa de Chá da Boa Nova. Este sítio e esta obra são um perfeito exemplo de simbiose entre construção e paisagem, a principal pedra de toque da obra do arquiteto natural de Matosinhos, e a principal razão para a escolha de Draw & Contra como um local de inspiração. Criar em relação com a envolvência é uma das principais diretrizes do trabalho da dupla de artistas, uma preocupação que torna as suas peças profundamente relevantes para a comunidade em que se integram e para a expressão da sua identidade.

Pte. Luís I, Porto

LANDMARKSPte. Luís I, Porto

Ponte Luís I Atravessar o Douro e unir as duas margens do Distrito do Porto é uma função que algumas pontes cumprem, mas só a Ponte Luís I o faz com a sólida elegância de um ícone. Um símbolo da confiança secular do ferro e da arquitetura da revolução industrial é a perfeita anfitriã. Obra do arquiteto belga Théophile Seyrig, os arcos e os dois tabuleiros desta ponte aproximam as pessoas e sustentam um espírito único a esta região. Foi este saber receber que inspirou a obra “Anfitrião” e fez Draw & Contra escolher esta ponte como ícone do grande Porto.

R. França Júnior, 4450-718 Matosinhos

LANDMARKSR. França Júnior, 4450-718 Matosinhos

Mercado Municipal de Matosinhos Como uma onda que regressa à margem, o Mercado Municipal de Matosinhos, na sua simplicidade harmónica característica do modernismo, define a paisagem da cidade com uma parábola, uma linha que levanta um arco no horizonte e abre um espaço para todos. Lá dentro, luz abundante e o teto elevado oferecem uma experiência quase religiosa, enquanto cheiros, texturas e cores nas bancas estimulam os sentidos. Na fachada, os murais cerâmicos de Américo Soares Braga celebram a faina e o comércio do peixe, relembrando a ligação de Matosinhos ao que o oceano sustenta. A sucinta capacidade de impactar a paisagem e ao mesmo tempo de afirmar identidade foi o que levou Draw & Contra a escolher este ícone.

Cruzamento da rua de Goa com a rua 1o de Maio - Matosinhos

SEAT WALLCruzamento da rua de Goa com a rua 1o de Maio - Matosinhos

Processo Num mural díptico, duas paredes abrem-se como páginas de um livro. Nelas vemos o momento de criar, de absorver o que nos envolve e o acto de o transformar em desenho. Draw & Contra veem Matosinhos como uma cidade de gente que cria com desenho. A cidade e a forma como a sua arquitectura interage com a natureza tem sido uma das principais influências da dupla de artistas, especialmente na forma como as imagens que criam refletem ou criam relações com a história e identidade do espaço. Esta mesma preocupação existe em muito do património arquitetónico de Matosinhos, e na sua comunidade de criadores - um dos maiores exemplos sendo Siza Vieira e a sua Casa de Chá. Pensar a cidade, a natureza e as comunidades juntas é algo que distingue Matosinhos e foi isso que Draw e Contra quiseram mostrar neste mural que “pretende prestar homenagem aos que desenham, aos que escrevem, aos que reflectem sobre a cidade”.

Rua Miguel Bombarda

INTEREST POINTSRua Miguel Bombarda

Rua Miguel Bombarda No coração do Porto, existe um sítio onde a criatividade é impossível de ignorar. A Rua Miguel Bombarda desde há muito que é a artéria principal do coração artístico da invicta, um lugar a que se começou a chamar o Bairro das Artes, com peças nas paredes da ruas e das lojas e galerias que abundam por aqui. Com o tempo a arte de rua ocupou esta zona como uma grande galeria a céu aberto, com mais anos passados a arte de rua entrou pelas galerias adentro. Hoje, a Rua Miguel Bombarda é o ponto de encontro incontornável entre a cultura de rua e arte, entre moda, ilustração, gastronomia, música e qualquer expressão de criatividade que deixa evidente a autenticidade nortenha.

R. Lionesa 4465-671 Leça do Balio

INTEREST POINTSR. Lionesa 4465-671 Leça do Balio

Lionesa Business Hub A indústria nortenha desde sempre tem dado um importante contributo ao progresso das suas cidades, especialmente na sua relação com a arte e cultura. O Lionesa Business Hub é um notável exemplo da atualização desta tradição. A antiga fábrica têxtil transformou-se no maior e mais dinâmico centro de negócios dedicado à indústria 4.0 em Portugal, oferecendo a Matosinhos um ponto de encontro e inspiração não só para as mais de 5000 pessoas que lá trabalham diariamente mas para toda a comunidade envolvente. A Lionesa tem todo um talento e um ecossistema orientado aos negócios para viver e trabalhar, onde as pessoas se sentem bem, felizes e fazem parte de uma comunidade, que compartilha o objetivo comum de expandir talentos através da arte. Paralelamente ao seu core business - criação de espaços de trabalho personalizados para responder às necessidades de cada cliente e na criação de um ecossistema único - assume no seu ADN um forte compromisso com a cultura. Arte e criatividade são, portanto, parte integrante da experiência da Lionesa, por acreditar que a inovação é estimulada pela criatividade. Esta relação com a arte e a criatividade começou com o grande Mural da rua da Lionesa, ao qual se seguiu a colaboração para o circuito de empenas Up There Street Art Project e mais recentemente com o Opo Steet’ Art Evolution instalados nos corredores técnicos da Lionesa. É um spot que merece uma visita para sentir o pulsar do empreendedorismo, da arte e criatividade e ainda dá para almoçar num dos vários restaurantes ali disponíveis.

R. Augusto Gomes, Matosinhos

GRAFITTI POINTR. Augusto Gomes, Matosinhos

Muro da Escola Secundária Augusto Gomes Uma parede legalizada, de livre acesso a writers e muralistas, cria uma zona segura e uma relação de proximidade que desmarginaliza a arte de rua. Esta parede da Escola Secundária Augusto Gomes tem contribuído para a evolução da qualidade e do número de artistas em Matosinhos, transformando-se num ponto incontornável do circuito de street art da cidade. Para ver algum do melhor e mais aventureiro novo graffiti  em Matosinhos é esta parede que se tem de visitar.

Rua da Barranha, Senhora da Hora

GRAFITTI POINTRua da Barranha, Senhora da Hora

Muro da Senhora da Hora - Muro Flash A arte de rua consegue unir uma comunidade. A prova disso é o projeto de Filipe Granja, um writer local que pinta com o nome mynameisnotSEM, que diariamente passava numa parede privada vandalizada e a necessitar de manutenção. A parede pertencia ao Sport Clube Senhora da Hora, e ao serem abordados por Filipe, rapidamente perceberam que havia benefício comum numa colaboração. Assim nasceu o Movimento Flash, onde Filipe e a comunidade de  artistas de rua e graffiti ganham uma parede legal e de ótima visibilidade, o SCSH tem uma parede restaurada e valorizada, e toda a comunidade uma razão de orgulho. Vários artistas nacionais e internacionais já passaram por esta parede. Este movimento está agora em expansão, com novas paredes angariadas, e deverá evoluir em breve para um circuito de street art na Senhora da Hora. 

R. Lionesa 4465-671 Leça do Balio

ARTIST WALLSR. Lionesa 4465-671 Leça do Balio

Lobo do Mar Ao lado de artistas como Mar, Mário Belém ou RAM, DRAW foi dos 10 artistas a ser convidado para este grande mural comissionado pela Lionesa e Unicer e Câmara Municipal de Matosinhos. O resultado é um trabalho coletivo com cerca de 137 m2. O contributo de DRAW é um retrato de um icónico pescador, de face talhada pelo sol, sal e mar. O retrato é uma homenagem ao contributo dos pescadores para a identidade de Matosinhos.

Av. Vimara Peres 23, 4000-098 Porto

ARTIST WALLSAv. Vimara Peres 23, 4000-098 Porto

AN.FI.TRI.ÃO Enquanto humanos estamos “programados” para reconhecer padrões naquilo que vemos. E nessa programação o padrão que mais rapidamente reconhecemos é o da figura e do rosto humanos. Procuramos ligação com os nossos. Esta peça de DRAW à entrada do Porto é uma expressão dessa vontade inata de nos ligarmos e recebermos o outro, celebrando a ideia de hospitalidade que distingue o Norte. A ligação ganha uma maior profundidade quando sabemos que este anfitrião é na verdade uma imagem do avô de DRAW.

Rua da Barranha, Senhora da Hora

ARTIST WALLSRua da Barranha, Senhora da Hora

COME CLOSER Esta colaboração inserida no Movimento Flash juntou a dupla com Oker, criando um encontro entre os vários registos que distinguem o trabalho de Draw e Contra - Graffiti, Abstracionismo, Ilustração e Retrato. A aproximação destes registos num discurso único, inserido na iniciativa de qualificar uma parede pública oferecendo arte à comunidade da Senhora da Hora, dá um significado mais profundo à ideia de “chegar mais perto”.

R. Dr. Leonardo Coimbra, 4465-189 São Mamede de Infesta

ARTIST WALLSR. Dr. Leonardo Coimbra, 4465-189 São Mamede de Infesta

HETERÓNIMOS Uma referência ao poeta que também continha multitudes, os Heterónimos de Fernando Pessoa inspiraram mais um mural colaborativo onde a Draw e Contra se juntaram a Pedro Podre, Third, Mots, Oker e Fedor. Na procura de esbater fronteiras entre arte e arte de rua, pintura e grafitti, esta peça mostra variações sobre o tema do retrato e da identidade, criando um mural que exige tempo e contemplação. A ideia de que a mudança é necessária e inata à definição de uma identidade fica aqui visível, mostrando vários artistas em processo de evolução e tornando-se cada vez mais eles próprios.

R. das Oliveiras 61, 4050-449 Porto

ARTIST WALLSR. das Oliveiras 61, 4050-449 Porto

SARA Para onde está ela a olhar? Um mural escondido, guardado ao privilégio de quem o poder ver, garante a quem chega à esplanada interior do Selina Hotel partilhar com ‘Sara” uma vista íntima da cidade do Porto. Esta peça mostra os dois registos de Draw e Contra em excelente equilíbrio. O complexo tornado simples, simplesmente para elogiar o prazer da contemplação. Fotógrafo: Pedro Raposo Mendes 

Rua da Madeira, Porto

SELECTED WALLSRua da Madeira, Porto

Quem és Porto? Miguel Januário, ou melhor, MaisMenos, é um dos mais notáveis e desafiantes artistas a sair da cidade do Porto para produzir trabalho um pouco por todo o mundo. Mas onde quer que exponha ou produza, MaisMenos procura provocar reflexão e, acima de tudo, lançar questões. Nesta peça destacada por Draw e Contra, o artista pediu a dezenas de colaboradores para responder visualmente à questão “Quem és Porto?” usando tinta preta sobre azulejos brancos. O resultado é uma afirmação da pluralidade do Porto, a certeza de uma diversidade que só reitera a importância da questão.

Rua Marques de Abreu

SELECTED WALLSRua Marques de Abreu

Mapa-Múndi HAZUL é um dos grandes motivadores da evolução da arte de rua na zona do grande Porto. Reconhecido na comunidade do Grafitti, no início dos anos 2000 começa a misturar técnicas e assuntos, com peças mixed media, e a aventurar-se para projetos editoriais. Esta experimentação mostrou à comunidade de artistas de rua outras possibilidades de expressão. E no boom da street art no norte, Hazul sempre foi um nome reconhecido com a mesma consideração pelos writers e street artist, pelas galerias e pelas ruas. Mapa-Mundi é uma peça que mostra a maturidade de quem evoluiu trabalhando, mantendo presente no seu registo as suas origens e a vontade de ter uma voz própria. 

Cruzamento da rua Miguel Bombarda com rua de Diogo Brandão

SELECTED WALLSCruzamento da rua Miguel Bombarda com rua de Diogo Brandão

D. Quixote & Sancho Pança Para quem anda perdido no Bairro das Artes a olhar para as paredes, é fácil encontrar este mural. Uma homenagem aos dois heróis trágicos mantém-se ainda, evitando o fim também trágico da maior parte da arte de rua. Uma peça que usa estéticas e técnicas do grafitti e da ilustração de personagens, salta à vista pela escala e pela forma como surpreende os transeuntes incautos ao virar da esquina. 

Rua da Atafona 6-8 Miragaia

SELECTED WALLSRua da Atafona 6-8 Miragaia

Look at Porto VHILS, com a sua icónica abordagem, também está presente no Porto. O que levou Draw e Contra a escolher esta peça foi a capacidade de VHILS conseguir revelar uma memória visual embutida nas paredes, fazendo parecer que aquela imagem sempre esteve ali, por baixo da tinta e das camadas de tempo que acumulou. Nesta peça em específico, VHILS parece querer mostrar esta ideia à cidade, instigando-a a olhar para si própria e reconhecer em tempo real as histórias que fazem do Porto um sítio único e real, como um filme que nunca acaba a passar ininterruptamente num cinema 5D.

Largo de Artur Arcos, Miragaia

SELECTED WALLSLargo de Artur Arcos, Miragaia

Mira Para levar a cidade a olhar para si própria, Daniel Eime capturou o rosto de uma senhora de Miragaia, que fita em sereno desafio por quem ela passa. É o Porto que Miragaia, é o Porto que olha para si, é a cidade que se pergunta e avança, sem se esquecer do seu legado.

Rua de Camões com a Rua do Paraíso

SELECTED WALLSRua de Camões com a Rua do Paraíso

Ribeira Negra A street art herdou do graffiti um espírito de partilha e colaboração. Daí muitas obras serem assinadas por duplas, coletivos ou feitas em parceria. “Ribeira Negra” é isso tudo. O Colectivo Rua, do qual são membros Draw e Contra, colaborou com o artista húngaro BreakOne para um mural inserido no festival de arte urbana Push Porto em 2014. O desafio foi criar ainda mais sinergia com uma peça que dialogasse com os painéis de azulejos de Júlio Resende, junto à entrada leste do túnel da Ribeira. Na parede conseguimos ainda ver uma composição que ilustra a Ribeira como um local de encontros, diálogo e troca de influências. 

Descida da Estrada da Circunvalação no Bairro da Biquinha

SELECTED WALLSDescida da Estrada da Circunvalação no Bairro da Biquinha

The Fisherman Quando Miguel Caeiro aka RAM e Gonçalo Ribeiro aka MAR se juntam, o resultado é uma explosão orgânica de cor, formas e significados. O estilo psicadélico e fluído cria imagens de um imaginário único e estimulante. As suas figuras titânicas parecem seres de outro tempo, de outra dimensão, materializados aqui para estimular a visão e despertar a imaginação. “The Fisherman“ é a sua interpretação de um ícone de Matosinhos, integrado no circuito de street art da cidade.

Mercado Ferreira Borges, Porto

SELECTED WALLSMercado Ferreira Borges, Porto

Continuidade MOTS, o artista local do Porto, reagiu ao desafio de pintar um dos maiores murais da cidade divergindo da cultura do grafitti - poderia ter pintado o seu nome em 500 metros de parede, mas preferiu abordar a oportunidade de outra forma. O impacto do seu mural poderia ter sido de contraste mas o que conseguiu foi um surreal efeito de continuidade do traçado do Mercado Ferreira Borges pelo skyline da baixa do Porto, daí o título da obra. A subtileza a esta escala põe esta obra num sítio único.

Rua Guilherme Gomes Fernandes

SELECTED WALLSRua Guilherme Gomes Fernandes

Gaia vs Gaia Third, um dos membros do Colectivo Rua assina uma peça de referentes mitológicos, onde parece querer levar ao limite a capacidade de uma lata de tinta em spray criar texturas, volumes, contrastes e profundidade. A titã Gaia contra si própria em torno de uma “caixa de pandora”, num exercício de simetria e movimento. Para quem procura Arte na rua esta é uma de muitas incríveis razões para visitar Matosinhos, Porto e Vila Nova de Gaia.

Rua do Rosário 54 4050-522 Porto

ART POINTRua do Rosário 54 4050-522 Porto

CIRCUS NETWORK Situada na zona do boom inicial da street art nortenha, é no Bairro das Artes, numa perpendicular à Rua Miguel Bombarda, que encontramos a Circus Network. Loja de Material de arte, galeria e co-work, é um dos epicentros da cena local de street art. A sua programação e curadoria trazem às suas paredes o melhor da comunidade, promovendo o espírito partilhado de evolução e criatividade.

Rua de Passos Manuel 178 4000-382 Porto

ART POINTRua de Passos Manuel 178 4000-382 Porto

Maus Hábitos Foi neste último andar que aconteceu a primeira exposição de street art no Porto, no início dos anos 2000. Este espaço sempre promoveu um encontro e contaminação entre artes e criadores. Assim é normal termos música com concertos e DJ sets, com exposições, residências e instalações. Um espaço seguro que sempre nos  habituou ao desafio e ao novo, Maus Hábitos é de visita mandatória.

Canal Central de Aveiro

LANDMARKSCanal Central de Aveiro

Moliceiros As proas dos Moliceiros recortam as ruas do centro de Aveiro. Uma ilusão que anuncia aos incautos que há ruas nesta cidade que são feitas de água. Os canais de Aveiro sempre fizeram a comunicação entre a beira-mar e os campos agrícolas mais adentro. É dessa comunicação que surgem os moliceiros, nomeados pela sua função de apanhar e transportar o moliço, um conjunto de plantas aquáticas que funcionam como fertilizante agrícola. Para além de juntar mundos e elementos, os moliceiros são a montra de uma imagética que, a sorrir, se tornou num ícone de Aveiro. Os frescos brejeiros das proas destes barcos mostram uma visão divertida e popular do dia-a-dia da cidade. A paleta simples e o recurso à figura humana foram uma das primeiras e nativas inspirações que André da Loba levou para as suas páginas e depois para as suas paredes. Hoje, pela primeira vez, depois de dar a volta ao mundo, um mural de André da Loba, chega perto dos canais e dos moliceiros de Aveiro.

Largo da Praça do Peixe 3800-243 Aveiro

LANDMARKSLargo da Praça do Peixe 3800-243 Aveiro

Praça do Peixe Todas as cidades têm um coração, um ponto central de encontros e partilha que oxigena a sua criatividade e identidade. Acima do Canal dos Botirões, antigo cais do sal e do pescado, em torno de um mercado de telheiro, levantado a ferro forjado pela inspiração da arquitetura francesa, Aveiro tem o seu coração. A Praça do Peixe ajudou a cidade a unir-se ao seu centro - a relação com a ria, o mar e o peixe aproximou as pessoas, criou histórias. Naturalmente este coração ajudou a cidade a pulsar económica e culturalmente. A Praça do Peixe é ainda hoje o sítio onde começa o dia e a noite de Aveiro, o melhor ponto de partida para conhecer a cidade de André da Loba.

Rua Carlos Aleluia (por debaixo da “Ponte de Pau”)

SEAT WALLRua Carlos Aleluia (por debaixo da “Ponte de Pau”)

Onda André da Loba cresceu e estudou em Aveiro, foi aqui que começou a olhar para os livros, jornais e revistas e a focar-se nas imagens. Foi nesta cidade que começou a desenhar, foi aqui que percebeu que estas cores e estas imagens podiam ser mais que uma paixão. Foi nesta cidade que a onda da Biblioteca da Universidade o emocionou pela primeira vez e o levou a outras bibliotecas e a outras universidades em cidades como Bilbau, Barcelona e Nova York. E foi esta paixão, como a maré que volta a encher, que trouxe André da Loba de volta a Aveiro. O ondular da ria, do mar, da brisa nos canaviais, as nuvens brancas recortadas no céu azul e a forma como os elementos em Aveiro se influenciam para criar um movimento contínuo, sempre paralelo ao horizonte, criaram juntos um espaço e uma emoção que acompanharam André no seu percurso. Foi aqui que depois de muito caminho, das páginas até aos murais, André da Loba volta a olhar para a parede da Biblioteca de Siza, e põe a Onda do seu caminho num muro da sua cidade. Relembrando a paleta e figuras dos moliceiros, invocando o horizonte contínuo da cidade, este mural brinca com os dois planos para criar um movimento, como se a figura estivesse sempre a avançar. André da Loba regressou a Aveiro mas a onda que o levou e que o trouxe de volta, ainda está em movimento.

Campus Universitário de, R. Santiago, 3810-193 Aveiro

INTEREST POINTSCampus Universitário de, R. Santiago, 3810-193 Aveiro

Biblioteca da Universidade de Aveiro Foi nesta biblioteca que André da Loba cimentou uma relação entre páginas e paredes. A ligação deste edifício à obra de André da Loba não é diferente do lugar que ocupa na sua história. Enquanto se licenciava em design gráfico era nesta biblioteca que se emergia em páginas, era no seu interior onde se deixava levar pelo mundo afora, livros adentro. O que a biblioteca continha educou-o e inspirou a imaginação do ilustrador, já o exterior mostrou-lhe o que escala pode fazer e como muda a forma como olhamos para as coisas. A obra de Álvaro Siza, em fluido diálogo com a natureza envolvente, é um elegante monólito, que oscila como as ondas de calor, do mar ou da passagem dos moliceiros, pondo em causa a certeza de uma linha recta, como a difusão da neblina de Aveiro. Esta foi a primeira biblioteca na primeira cidade de André da Loba, as suas histórias começam aqui. O mural que preparou para o SEAT Art Cities, é uma consequência destas curvas, a biblioteca e a forma como guarda histórias ondulando com a cidade, é o mote da obra que ofereceu a Aveiro.

R. João Mendonça 17 2º andar 3800-200 Aveiro

INTEREST POINTSR. João Mendonça 17 2º andar 3800-200 Aveiro

Mercado Negro Há 16 anos que esta associação cultural insiste em fazer diferente, criando um espaço seguro e estimulante para novas gerações de criativos terem um lugar para fazer a diferença. O Mercado Negro é um sala de música ao vivo, exposições e eventos, um bar, restaurante, loja de livros e de discos. E é por onde têm passado muitos dos nomes que na última década redefiniram a paisagem artística na música, ilustração, fotografia e street-art. É o lugar de contaminação onde os locais, os estudantes e os itinerantes trocam a divisa que aqui mais importa - as ideias.

Avenida Marginal Carlos Cardoso de Oliveira

ARTIST WALLAvenida Marginal Carlos Cardoso de Oliveira

O Homem da Ria A convite do Festival Dunas de S. Jacinto, André da Loba volta a pôr numa parede o que o liga a Aveiro, o que o aproxima das pessoas desta cidade e em especial à forma como entre elas partilham uma ligação à água. Este mural é uma ode aos pescadores-poetas, aos homens que cuidam da ria, dos barcos, dos peixes e das algas, e na solidão do trabalho se ligam às palavras como forma de entender a Natureza.

 R. do Cadaval 53, 3865-218 Salreu

ARTIST WALL R. do Cadaval 53, 3865-218 Salreu

Metamorfose Em Estarreja, numa casa perdida no Baixo Vouga Lagunar, encontramos uma das peças mais envolventes de André da Loba. Partindo de um desafio de intervir na paisagem da BioRia inserido no ObservaRia — uma bienal de birdwatching — o ilustrador criou uma espécie de zootropo. Em torno de uma casa de apoio a pescadores e caçadores, vemos uma criança mergulhar na ria para se transformar em peixe, para depois sair da ria e se transformar em pássaro. O mural envolve toda a casa, numa sequência de transformação que ocupa todas as paredes do exterior, comunicando com a fauna e a flora envolvente. À volta de uma casa só com natureza à volta, as voltas que a vida dá para se voltar a transformar em vida.

R. B do Orreiro, São João da Madeira

ARTIST WALLSR. B do Orreiro, São João da Madeira

S. João da Madeira: Cidade dos Chapéus Uma das principais capitais do têxtil a norte, S. João da Madeira, tem a sua cultura associada ao vestuário, literalmente dos pés à cabeça. Esta cidade viu as suas histórias crescerem em torno da indústria do calçado e dos chapéus. André da Loba, a convite do Hat Weekend, uma celebração desta comunidade e um desafio à sua renovação, abordou a sua empena com uma tela para retratar a capacidade da arte e o bem-fazer para consolidar a identidade de uma cidade. A arte dos chapéus enche esta cidade de cor e orgulho e é exatamente esse espírito que o artista levou para a parede.

Arco do Comércio 3800-202 Aveiro

SELECTED WALLSArco do Comércio 3800-202 Aveiro

Arco do Comércio Aveiro, como muitas cidades do litoral português, cresceu ligada à água. No entanto, as suas características tornaram a sua história única. Foi a essa unicidade que Kest se ligou para criar uma intervenção impressionante. Trabalhando no arco sobre a cor original do edifício, o mesmo azul do céu de Aveiro, Kest ilustrou a lampreia e a vida aquática de Aveiro a conviver com as mesmas nuvens brancas pelas quais André da Loba parece levemente obcecado. A composição e a minúcia das texturas e o controlo da profundidade que criou ganham ainda mais valor, quando percebemos que foi tudo criado com latas de tinta aerossol. Mais um incrível exemplo do que o graffiti deu à arte e pode oferecer às cidades.

Avenida Artur Ravara_Parque da Cidade de Aveiro

SELECTED WALLSAvenida Artur Ravara_Parque da Cidade de Aveiro

Parque da Cidade de Aveiro Em diálogo com a exposição de 2016 “Notes on Tomorrow” organizada pela CreArt, uma rede de cidades europeias partilhando a missão de impulso à criatividade, foi comissionado aos street artist Jorge Peligro e Icha Bolita um mural. Comentado o impacto das decisões de hoje na vida coletiva de amanhã, os artistas decidiram utilizar este mural para comentar a vida que levamos nos murais digitais. As cores, a efusividade dos elementos e das figuras e amplitude da peça contrastam com uma incapacidade do espetador criar uma relação total com o mural. Esta ideia de oximoro foi o que que os artistas quiseram explorar — levantando um espelho à nossa sede de informação, que pode criar uma visão cada vez mais condicionada, mostrando a extrema contradição de que na ilusão da conectividade estamos cada vez mais sozinhos.

R. dos Marnotos 59 Aveiro

SELECTED WALLSR. dos Marnotos 59 Aveiro

Praça do Peixe A capacidade da street art contaminar e se fundir com identidade de um local tem apertado relações entre cidades e artistas um pouco por todo o mundo. Dalila Monteiro aka Zoomer, a artista de Amarante fixada nesta SEAT Art City há mais de uma década, criou uma proximidade com Aveiro pela simples dedicação de insistir em sair para pintar. As suas figuras geométricas, retratos de formas e cores simples criaram uma linguagem icónica e acessível que começa a ser sinónimo de street art aveirense. A peça na Rua dos Marnotos é um dos muitos exemplos desta ligação que se pode encontrar nas paredes de Aveiro.

R. Cmte Rocha e Cunha 146 3800-163 Aveiro

SELECTED WALLSR. Cmte Rocha e Cunha 146 3800-163 Aveiro

Estação Ferroviária de Aveiro Alexandre Farto também esteve em Aveiro e inserido na sua fase Scratch the Surface, “revelou” um rosto numa parede onde passam diariamente muitas das pessoas que chegam à cidade de comboio para trabalhar ou estudar. A simples humanidade do olhar desse retrato é um apelo à empatia e um gesto para, enquanto humanos, olharmos para além da superfície do outro. Uma peça icónica na galeria de arte urbana em que Aveiro se foi tornando.

Museu da Vista Alegre 3830-292 Ílhavo

ART POINTMuseu da Vista Alegre 3830-292 Ílhavo

Museu da Vista Alegre A cerâmica tem um papel definitivo na cultura aveirense. A excelência dos artesãos e artesãs que trabalharam e continuam a criar nas oficinas e estiradores desta casa, ajudaram a criar um legado reconhecido internacionalmente. Vista Alegre é sinónimo de história, excelência e uma vontade de continuar a inovar. Envolvido neste espírito, André da Loba cresceu a admirar estas peças e durante muito tempo, eram estas obras o que entendia como arte. Muito mudou desde então, mas André continua a considerar a Vista Alegre como arte e por isso recomenda que se visite o seu museu.

R. Dr. Nascimento Leitão 30, 3810-108 Aveiro

ART POINTR. Dr. Nascimento Leitão 30, 3810-108 Aveiro

Livraria Gigões e Anantes Os livros, primeiro e sempre, os livros. André da Loba recomenda-nos a sua loja favorita de Aveiro - uma livraria especializada em ilustração. Aqui podemos encontrar uma seleção dos melhores e mais curiosos livros com imagens a ser criados e produzidos em Portugal e um pouco por todo o mundo. Mais, aqui arriscamo-nos até a encontrar livros do nosso anfitrião. E ainda podemos até encontrar o próprio André da Loba, perdido entre páginas a pensar em como levar imagens para as paredes.
  • SEAT Wall

    Parede original SEAT pintada pelo artista
  • Artist Wall

    Paredes da cidade já pintadas pelo artista
  • Interest Point

    Ponto de interesse destacado pelo artista
  • Selected Wall

    Destaque para paredes de outros street artists
  • Graffiti Point

    Ponto de referência para o desenvolvimento da arte urbana
  • Art Point

    Ponto cultural de relevância local ou nacional

About

As estradas levam-nos às cidades, cada uma única, diferente da próxima, colorida pela sua própria identidade. Na cidade, as paredes contam a sua história, revelam os seus segredos e dão a conhecer algo que nenhum postal turístico alguma vez conseguiria. A arte de rua tem trazido à luz do dia o talento de uma nova geração de artistas e com eles e elas, uma nova estética criou um acervo artístico e público que transforma cada cidade numa galeria a céu aberto. As cidades estão a mudar, as paredes mostram-no e as estradas que nos levam até elas chamam agora por nós.

A SEAT volta a juntar-se a VHILS, desta vez para, com a sua curadoria, desenhar 5 Mapas de 5 Cidades pelos olhos e talento de 5 street artists locais. Juntos, estes mapas, cidades e artistas formam as SEAT ART CITIES, um novo grande roteiro da Street Art Portuguesa. Braga, Carvoeiro, Matosinhos, Lisboa e Aveiro são as cidade que B.E.K., Tamara, Draw & Contra, AkaCorleone e André da Loba vão desvendar e partilhar connosco. A estrada chama, as SEAT ART CITIES esperam-nos, segue os mapas e a viagem começa agora.

Inauguração
Draw & Contra
AkaCorleone
Tamara Alves
André da Loba
B.E.K

Artistas

Obras

Galeria